quinta-feira, 8 de setembro de 2016

[Dica da Malu] Cartas de amor aos mortos

Autora: Ava Dellaira
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Comprar: Amazon

Hoje vim falar sobre Cartas de amor aos mortos, uma das leituras mais difíceis que tive esse ano. Trata-se de uma história linda, mas que aborda temas muito sérios e duros de serem encarados.
O livro acompanha a adolescente Laurel, cuja irmã mais velha, May, havia morrido em um acidente alguns meses antes. Ainda de luto pela perda de alguém que era seu porto-seguro, sua melhor amiga e a pessoa a quem mais admirava, a menina sente-se confusa e sem saber como lidar com as mudanças na sua vida. Os seus pais, que haviam se divorciado quando as duas eram mais novas, estão ainda mais distantes um do outro e da própria filha. A mão dela resolve se mudar para Califórnia e Laurel passa a viver revezando entre a casa de seu pai e de sua tia, Amy.
Prestes a começar o Ensino Médio, Laurel decide mudar para outra escola, onde ninguém a conhecia e ela não precisaria lidar com a ausência da irmã. No entanto, sua professora pede que os alunos escrevam uma carta para alguém que admiravam e que já tivesse morrido. Assim, Laurel começa a escrever diversas cartas para diferentes artistas e personalidade que ela admirava, onde “conversa” com eles sobre fatos da vida deles, o que vem acontecendo em sua vida desde a morte da sua irmã e como era tudo antes do acidente.
O primeiro ponto que destaco é a sensibilidade da autora na construção e condução da história. Tudo é narrado de uma maneira delicada, pela perspectiva da menina. Através das cartas, vamos conhecendo Laurel aos poucos, entendendo a profundidade da sua dor e os seus traumas.
“Havia uma barreira entre mim e o mundo. Parecia uma grande parede de vidro, espessa demais para ser atravessada. Eu poderia fazer novos amigos, mas eles nunca me conheceriam, não de verdade, porque nunca conheceriam minha irmã, a pessoa que eu mais amava no mundo. E nunca saberiam o que eu fiz. Eu precisava aceitar que estava do outro lado de uma parede intransponível. ”
Gostei muito dos personagens desta história. Além da protagonista, somos apresentados à sua família, seus novos amigos (Hanna, Natalie, Kristen e Tristan) e Sky, um menino misterioso por quem ela se apaixona. Apesar de tudo ser narrado pela visão de Laurel, conseguimos conhecer e entender os demais personagens e seus conflitos. Além disso, todos eles apresentam traumas e inseguranças muito fortes e nos sensibilizamos com eles tanto quanto com a protagonista.
O livro também nos oferece a oportunidade de saber mais sobre artistas e personalidades que talvez não conhecêssemos ou que não soubéssemos tanto sobre eles. Entre as pessoas para quem Laurel escreve, encontramos Kurt Cobain, River Phoenix, Heath Ledger, Amy Whinehouse, Judy Garland e América Earhart. Em comum, o fato de que todos foram excepcionais em suas profissões, conquistando a admiração e inspirando pessoas no mundo todo, mas enfrentaram traumas e sofrimentos que marcaram suas vidas.
“O homem na música tenta amar a garota, mas ela não está ali, não completamente. Ela está fugindo de algo dentro de si, algo que ele não consegue ver. Acho que existe algo assim dentro de mim.”
Me encantei com cada uma das cartas de Laurel. O modo como ela conta a sua vida e a destas pessoas que tanto admira aproxima o leitor e aumenta o envolvimento com a história. Além disso, em alguns momentos percebíamos com tanta clareza os sentimentos de Laurel que era como se estivéssemos sentindo junto com ela.
A escrita de Ava Dellaira é bastante fluida e completamente envolvente. Apesar de não ser uma história leve, a leitura não é cansativa, pois os sentimentos dos personagens são apresentados de uma maneira tão sensível que rapidamente nos apegamos a eles. A única dificuldade que senti em alguns momentos da leitura é que não conseguia compreender algumas ações da protagonista, por não conhecer sua história toda, então, acabava me irritando um pouco com ela. No entanto, à medida que entendemos melhor alguns acontecimentos da vida de Laurel, é impossível não compreender seu comportamento e se sensibilizar ainda mais com ela.

Confesso que esperava encontrar em Cartas de amor aos mortos uma abordagem um pouco mais superficial sobre o luto e a necessidade de seguir em frente. Fiquei surpresa ao me deparar com uma história que vai muito além disso, abordando temas profundos e dolorosos. Além disso, amei conhecer mais sobre essas personalidades e descobrir um lado mais humano deles. Recomento muito este livro para todos que desejam uma história tocante, com uma bela mensagem. Sem dúvida, um dos livros mais lindos daqueles voltados para o público Jovem Adulto que eu já li. 

4 comentários:

  1. Esse livro é muito bom mesmo, também está entre os melhores YAs que já li. Não esperava gostar tanto dele. É comovente e a protagonista é muito cativante. Também gostei muito de conhecer um pouco mais os artistas que ela escreve as cartas.
    Essa capa é linda <3

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol! Pois é, este livro me surpreendeu muito. Não esperava me comover tanto com a história e os personagens. Também adoro essa capa, acho super delicada.
      Beijos <3

      Excluir
    2. O verdadeiro autor é aquele em que os personagens ganham vida própria, se hipertrofiam!

      Excluir
    3. Concordo plenamente! Os personagens são os condutores da trama e é muito importante que o autor saiba construí-los de modo que se tornem reais para os leitores.

      Excluir

Copyright © 2013 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal