quarta-feira, 31 de agosto de 2016

[Dica da Malu] Sábado à noite

Autora: Babi Dewet
Editora: Generale
Páginas: 324
Para comprar: Amazon
Sabe aquela música que quando a gente escuta vem uma sensação gostosa, que te faz sorrir sem perceber e provoca boas lembranças? Para mim, ler Sábado à noite, da Babi Dewet, foi como ouvir uma música assim. Me trouxe lembranças da minha adolescência, me deixou sorrindo em vários momentos e me levou quase às lágrimas em outros.
O livro conta a história de Amanda e Daniel, dois adolescentes que estudam no mesmo colégio mas pertencem a grupos diferentes. Amanda é uma das alunas mais populares da escola e, junto com as amigas, é admirada por onde passa. Já Daniel faz parte dos marotos, o grupo de alunos considerados perdedores e encrenqueiros com os quais ninguém quer ter muito contato. No entanto, tudo começa a mudar quando uma atividade da aula de artes força as populares a conviverem com os marotos, fazendo com que eles comecem a ver além dos rótulos a que eram associados.

“Essas coisas mudam as pessoas, mudam seu caráter e suas prioridades. E as dela foram alteradas. Assim como as de suas amigas, que foram abrangidas por essa... popularidade involuntária.” (p. 87)

Como se não bastasse essa atividade que ameaça abalar a “hierarquia social” da escola, o diretor ainda resolve que aos sábados à noite haveriam bailes na escola, onde os estudantes poderiam se divertir e socializar. O problema é que ninguém conhece a banda contratada, mas eles parecem saber muito sobre os alunos da escola. Tocando escondidos sob máscaras, esses músicos tocam canções que parecem traduzir exatamente sentimentos e acontecimentos de algumas pessoas da escola, especialmente de Amanda.
O primeiro ponto que destaco deste livro é a maravilhosa descrição que a Babi Dewet faz da adolescência. Sem cair nos estereótipos que muitos autores fazem dessa fase da vida, ela escreveu uma história totalmente natural e verossímil. O clima dos tempos do colégio, as panelinhas, as conversas e os dilemas dos personagens são muito reais, facilitando a identificação do leitor. Mesmo quem já não é mais adolescente, sente uma ligação com a história pelas lembranças que ela provoca.
Os personagens também são incríveis, sendo impossível não se encantar com eles. Apesar do foco maior ser na Amanda e no Daniel, conseguimos conhecer e nos envolver com todos os personagens. Particularmente, gostei muito dos amigos do Daniel: Bruno, Caio, Rafael e Fred. Eles são engraçados e brincalhões, mas, ao mesmo tempo, são fofos e muito leais. As amigas da Amanda, Carol, Guiga, Maya e Anna, apesar de um pouco fúteis, são divertidas também e muito unidas. Gosto de ver o modo como elas sempre se apoiam e colocam a amizade antes de tudo.
Poucas vezes, tive um envolvimento tão forte com um livro, ainda mais voltado para o público adolescente. Muitas vezes, os dilemas apresentados nesses livros são superficiais e os personagens pouco reais. Mas não foi o caso de Sábado à noite. Com uma escrita leve e natural, Babi Dewet conseguiu transmitir completamente os pensamentos e sentimentos dos personagens, fazendo o leitor sentir junto com eles. Assim, eu me envolvi com a história, fiquei feliz nos momentos alegres, sofri quando os personagens estavam sofrendo, tive vontade de sacudir alguns deles quando estavam fazendo alguma besteira e fiquei com o coração apertado com algumas decisões que eles tomaram.

“A vida era curta e as noites eram longas. Momentos como esse seriam lembrados para sempre.” (p. 195)

Não vou contar o final, claro, mas a Babi soube brincar com os meus sentimentos. Suspirei em algumas partes, senti raiva, pena, esperança e terminei quase chorando com essa confusão de emoções.

Já tinha escutado muitos elogios a esse livro, mas todos agora parecem insuficientes. Com uma história simples, mas cheia de sentimento, Sábado à noite me conquistou e já virou um dos meus queridinhos. É daqueles livros que dá vontade de reler várias vezes, porque a gente nunca se cansa. No final, sentimos aqueles personagens como amigos muito queridos, que gostaríamos de ajudar, aconselhar e abraçar. Não vejo a hora de ler os outros dois livros da trilogia, para saber o destino de cada um deles. 

8 comentários:

  1. Olá Flor!
    Já conheço o livro e ouvi muiras pessoas falarem bem, mas, infelizmente, não tenho curiosidade de ler o livro. Acho que a história é um pouco mais infantil do que quero no momento, mas valeu a indicação.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, tudo bem? Realmente, o livro é bem Ensino Médio mesmo. Mas não achei bobinho como outros; me trouxe mais uma sensação de nostalgia. Só que livro é momento, se você não está com muito interesse agora, é melhor não pegar para ler mais para frente. Quem sabe mais para frente você anima, né? Beijos!

      Excluir
  2. Que amor de resenha! Eu sempre ouvi muito falar sobre esse livro, mas ainda não tinha lido uma resenha especificamente sobre ele, acredita? Acho que era isso que estava faltando para tomar vergonha na cara e lê-lo haha
    Adorei o post, principalmente as partes em que você fala sobre como ela narra a adolescência. Conseguiu me deixar extremamente ansiosa para conhecer a escrita da Babi <3

    Beijos,
    milenaschabat.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Milena, fico muito feliz que você tenha gostado da resenha. Eu também fiquei de olho nesse livro muito tempo antes de finalmente pegar para ler hahaha.
      Espero que você leia e possa se encantar com a escrita da Babi tanto quanto eu. Depois me conta o que achou :)
      Beijos!

      Excluir
  3. Sábado à noite é demais! Eu li quando ainda era uma fanfic e lembro do sucesso que fazia na época. A adaptação para livro ficou maravilhosa, um crescimento na carreira da autora, e tô doida pra ler o livro novo dela. Parabéns pela resenha, ficou ótima <3

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, é maravilhoso mesmo! Nossa, então você acompanhou bem no comecinho mesmo. Eu adorei que, na apresentação do livro, ela conta toda a trajetória desde que publicou como fanfic até se tornar um livro. Nossa, eu também quero muito ler esse livro. Quero continuar acompanhando o trabalho dela!
      Obrigada, fico muito feliz que tenha gostado da resenha!
      Beijos!!

      Excluir
    2. Na adolescência amores começam e terminam; idade de ilusões e transformações!

      Excluir
    3. Verdade, a adolescência é, talvez, a fase mais intensa da vida. Assim, algo que me fez gostar muito deste livro, foi a maneira sincera e delicada como a autora retrata esta etapa.

      Excluir

Copyright © 2013 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal