sábado, 24 de setembro de 2016

Cinco livros para ler na primavera

Essa semana começou a estação que, na minha opinião, é a mais bonita do ano: a primavera. Agora, tudo começa a ficar mais colorido e florido, e eu realmente gosto de acompanhar essa mudança.
Assim, para já entrar no clima, fiz uma lista com alguns livros que são a cara dessa estação.


O Jardim Secreto, de Frances H. Burnett
Acho que esse eu nem preciso explicar muito né? Este livro conta a história da pequena Mary Lenox que, após perder os pais, é levada da Índia para a Inglaterra para viver com um tio que não conhecia. Uma menina mandona e mimada, Mary tem dificuldade de se adaptar à nova vida. Mas ao descobrir um jardim secreto e abandonado na propriedade do tio, Mary ganha um novo propósito na vida, algo que irá transformar não só ao jardim, mas à ela mesma e aos novos amigos que ela conhece.


Emma, de Jane Austen
Um dos livros mais leves e divertidos de Jane Austen, Emma é uma leitura ideal para essa estação tão florida e alegre. Trata-se da história de Emma Woodhouse, uma jovem rica que vive cuidando de seu pai e da casa onde vivem. Emma não tem nenhum desejo de se casar, pois precisa cuidar do pai, mas adora formar novos casais e planejar casamentos. O que Emma não esperava era que manipular a vida das pessoas desta maneira poderia causar muita confusão e ameaçar a sua própria felicidade.


Para todos os garotos que já amei, de Jenny Han.
Esse livro é daqueles que dá vontade de ler em qualquer estação do ano. No entanto, acho que ele combina muito com a primavera por ser uma história leve, divertida e romântica. Aqui conhecemos a jovem Lara Jean que, ao longo da sua vida, escreveu uma carta para cada garoto que amou, sem a menor intenção de entregá-las. O problema é que, um dia, todas estas cartas são enviadas aos respectivos destinatários, incluindo Josh, o ex-namorado da irmã mais velha de Lara Jean e um dos garotos que ela já amou. Para fugir dessa situação embaraçosa, Lara Jean finge namorar Peter, outro garoto que havia recebido uma das cartas, o que só aumenta a confusão.

Como eu era antes de você, da Jojo Moyes.
Apesar de tratar sobre um tema difícil e eu ter chorado horrores quando li, esta foi uma leitura muito leve e que me trouxe reflexões bonitas e profundas. O livro traz a história de Louisa Clarke, que passou anos trabalhando em um café em uma pequena cidade no interior da Inglaterra, mas vê sua vida mudar quando o seu chefe decide fechar o local para se mudar. Sem muitas ambições ou sonhos, Lou não tinha muitas qualificações ou experiências, o que limitava suas opções de emprego. Ela acaba trabalhando como cuidadora de um homem que havia ficado tetraplégico em um acidente. William Traynor é um homem bonito, inteligente e rico, mas que após o acidente deixou de ser a pessoa cheia de vida e ativa que era antes para se tornar amargo e cansado da vida. Com a convivência, um irá transformar a vida do outro de maneiras que não imaginavam quando se conheceram.

A princesa adormecida, da Paula Pimenta
De todas as princesas da Disney, acho que a primeira que me vem à cabeça quando penso em primavera é a Aurora. Por isso, a releitura moderna do conto de fadas clássico, A Bela e a Fera, não poderia faltar nesta lista. A princesa adormecida é a história da jovem Áurea, uma menina que foi criada por tios superprotetores que não deixavam que ela saísse com as amigas e muito menos conversasse com estranhos, especialmente garotos. No entanto, no seu aniversário de 16 anos, Áurea sai escondido com as amigas para comemorar e isso acaba desencadeando uma série de acontecimentos que mudam a vida dela e revelam coisas sobre seu passado que ela não poderia imaginar.


            Gostaram da lista? Deixem aí nos comentários sua opinião e quais livros vocês acham que são a cara da primavera. 

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Pokémon Go Book Tag

Hoje resolvi trazer uma tag especial para quem ama ler e adora Pokémon: a Pokémon Go Book Tag. Vi essas perguntas no blog Our Brave New Blog e vou deixar o link no final para que vocês possam conhecer as respostas deles também. Mas, agora, vamos às minhas:

Iniciais: O livro que deu início ao seu amor pela literatura.
Não sei dizer exatamente qual foi o livro que despertou meu amor pela literatura, mas dois que me marcaram muito quando era criança foram Pollyana, da Eleanor H. Porter, e A droga da obediência, do Pedro Bandeira.

Pikachu: Um clássico icônico que você sempre vai amar.
Ah, essa tem que ser uma resposta dupla: Persuasão e Orgulho e Preconceito, ambos da Jane Austen. São meus livros favoritos da autora e, sem dúvida, sempre vou amá-los.

Zubat: Livro que você perdeu o interesse por ele estar em todo lugar.
Não tenho muito preconceito com livros que estejam na moda, caso a história me interesse. Mas um que perdi um pouco a vontade de ler foi A garota no trem. Não só por ter a sensação de que ele está em todo lugar, mas também porque, quando comecei a ler, achei uma leitura muito cansativa. Perdi o interesse rápido e não sei quando vou retomar.

Ditto: Livro que te lembra outro, mas que você amou do mesmo jeito.
Aqui a resposta é fácil: A rainha vermelha, da Victoria Aveyard. Fiz resenha sobre ele aqui no blog e comentei o fato do livro ter me lembrado outras distopias como Jogos Vorazes e Divergente.

Snorlax: Livro/ série que você ainda não começou por ser muito grande.
George R. R. Martin que me desculpe, mas ainda não tive ânimo de começar a ler As Crônicas de Gelo e de Fogo. Os livros são muito grandes e, realmente, estou com preguiça. Pretendo ler um dia, mas, no momento, falta vontade e tempo.

Gengar: Um livro que te manteve acordado durante a noite.
Eu valorizo muito o meu sono, então, não sou de passar a noite lendo. Mas, o livro que chegou mais próximo disso foi Harry Potter e as Relíquias da Morte, que, quando li pela primeira vez, não queria largar para nada.

Nidoking/Queen: Seu OTP (One True Pairing) literário.
Difícil escolher um casal favorito, então, vou citar três: Elizabeth Benneth e Mr. Darcy, de Orgulho e Preconceito; Anne Elliot e Capitão Wentworth, de Persuasão, e Fani e Leo, de Fazendo Meu Filme.

Rapidash: Um livro de leitura rápida.
Para mim isso é muito relativo, pois depende também do tamanho do livro. Mas, para não deixar sem resposta, recentemente, li Harry Potter and the Cursed Child em um dia.

Eevee: Uma série que você nunca se cansa de ver novos spin-offs.
Vou trapacear de novo e citar duas séries aqui. A primeira é, claro, Harry Potter. Inclusive, eu gostaria que a J. K. Rowling escrevesse mais spin-offs sobre esse universo mágico (cadê o livro sobre os Marotos?). A outra é Os Instrumentos Mortais, porque, se tem uma pessoa que sabe explorar todo o potencial do universo que criou, é a Cassandra Clare. Já são duas séries derivadas (As Peças Infernais e Os Artifícios das Trevas), sem contar livros individuais, como As Crônicas de Bane e O Códex dos Caçadores de Sombras.

Magikarp: Um livro que foi surpreendentemente incrível.
Um livro que me surpreendeu muito foi Uma chama entre as cinzas, da Sabaa Tahir. Já fiz resenha sobre ele aqui, mas foi uma leitura que eu amei, muito além das minhas expectativas. Recomendo para todo mundo!

Lendários: Uma série supervalorizada que você quer ler.
Muitas pessoas me falam que a série Percy Jackson é supervalorizada, mas eu ainda tenho vontade de ler e tirar minhas conclusões.

Mew e Mewtwo: Uma edição de colecionador que você faria tudo para ter.
Dizer que faria tudo é muito forte, mas sou apaixonada pela edição britânica de luxo da série Harry Potter. E queria muito o box de As Peças Infernais com capa holográfica que eu acho maravilhoso, mas, infelizmente, está esgotado.

Ovo Pokémon: Um lançamento que você está super ansioso para ler.
Com certeza The Heart of Betrayal, a aguardada continuação de The Kiss of Deception que a DarkSide vai publicar no final de outubro. Estou contando os dias.

Lure Modulator: Um autor que se vende sozinho.
Acho essa uma pergunta muito difícil, porque tem autores que eu amo, mas que alguns livros deles não me agradam. Mas vou responder aqui J. K. Rowling, porque é uma autora que basta ser escrito por ela, para que eu já fique, no mínimo, curiosa.

O servidor caiu: O lançamento de um livro que você está esperando há séculos.
Felizmente, não tem nenhum livro que eu esteja esperando há muito tempo. Mas queria saber quando vai sair a edição brasileira de A Torch Against the Night, da Sabaa Tahir, que é a continuação de Uma chama entre as cinzas.

          Então, gostaram? Vocês podem conferir as respostas do pessoal do Our Brave New Blog neste link. Aproveitem também e respondam a Pokémon Go Book Tag e me contem aí nos comentários quais livros vocês escolheram. E não esqueçam de seguir o blog nas redes sociais para não perder nenhuma novidade.

Caso queiram adquirir algum dos livros que eu mencionei nas respostas, vou deixar os links para Amazon. Assim, vocês contribuem com o blog sem pagar mais nada por isso.


Links para compra:
Orgulho e Preconceito: http://amzn.to/2d0Y2dI
A garota no trem: http://amzn.to/2dlgDCH
Harry Potter: http://amzn.to/2cPAga7
Harry Potter and the Cursed Child:http://amzn.to/2cKSINQ
Fazendo Meu Filme: http://amzn.to/2cPAOwD
Os Instrumentos Mortais:http://amzn.to/2cVAusf
As Peças Infernais: http://amzn.to/2d8aZr5
Uma chama entre as cinzas: http://amzn.to/2dnEe8s
A torch against the night: http://amzn.to/2cVABUK
Percy Jackson: http://amzn.to/2d0Zr44
The kiss of deception: http://amzn.to/2d8belJ
The heart of betrayal: http://amzn.to/2cUZUrw

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Parceria nova!!

É com muita alegria que venho anunciar a parceria do Dicas de Malu com a autora Adriele Nardelli, autora de O mistério das Feras. Estou realmente satisfeita com esta oportunidade e não vejo a hora de ler o livro. Quando isso acontecer, claro que vai ter resenha para vocês aqui no blog. Até lá, vocês podem conhecer um pouco mais sobre a autora e a sinopse da história.
Adriele Nardelli tem 28 anos e descobriu cedo em Laurentino (SC) o amor pelos livros. Aos 7 anos, em folhas de papel ofício e a lápis, escreveu um livreto chamado “o mundo dos meus sonhos”. Formada em jornalismo, apresentou Trabalho de Conclusão de Curso o livro-reportagem “o crime da fornalha”. Trabalha atualmente como repórter da área de esportes na RBA TV e lê ou escreve em praticamente cada minuto do seu tempo livre. “O mistério das feras” é sua primeira obra de ficção publicada.

Sinopse: ELAS ESTÃO CHEGANDO. VOCÊ ESTÁ PREPARADO? Keira Karter tem 16 anos e parece uma adolescente normal, exceto por um detalhe: ela tem sonhos premonitórios. As visões sempre revelam crimes em andamento ou prestes a acontecer. A garota já havia aceitado esse estranho dom e estava acostumada com sua rotina peculiar quando algo ainda mais surpreendente começou a acontecer: sem saber como, ela se viu atraída para os cenários desses crimes. E, para piorar, duas enormes feras passaram a cruzar seu caminho, como se a estivessem perseguindo. Assustada e duvidando de sua própria sanidade, Keira passa a buscar por respostas e a confrontar um novo vizinho, que parece estar lidado de alguma forma aos recentes acontecimentos.
A verdade, então, vem à tona e se mostra mais perturbadora do que qualquer das hipóteses malucas criadas por ela. E quando uma tragédia mostra que a chegada dessas feras pode colocar em risco sua própria vida e de todos que ela ama, Keira se vê forçada a encarar uma realidade que jamais imaginou ser possível e sentimentos com os quais não está pronta para lidar.

Informações técnicas:
Edição: 1
Editora: Selo Jovem
Título: O mistério das feras
Ano: 2016
Páginas: 208
Autora: Adriele Nardelli

sábado, 17 de setembro de 2016

Fatos para saber antes de ler Harry Potter and the Cursed Child



Hoje resolvi falar sobre um livro que eu esperei muito tempo e, finalmente, tive a oportunidade de ler: Harry Potter and the Cursed Child. Mas, antes de tudo, já aviso que este post não será uma resenha. Como muitas pessoas estão esperando a edição brasileira, que será lançada em 31 de outubro, resolvi deixar para postar a resenha mais próximo desta data. Além disso, estou fazendo um especial sobre Harry Potter aqui no blog e achei que seria conveniente seguir a sequência dos livros (em breve, post sobre o quinto, Harry Potter e a Ordem da Fênix)
Mas, vocês devem estar se perguntando: se não é resenha, o que ela vai falar sobre o livro? Bem, eu tenho visto muitas críticas a Cursed Child e, apesar de achar que algumas delas são válidas, em outras, senti uma falta de compreensão com o formato desta história. Por este motivo, resolvi escrever sobre algumas coisas que devem ser levadas em consideração antes de optar por ler Harry Potter and the Cursed Child.

1 – O livro é o roteiro da peça e não um romance.
            Esse é o principal aspecto que as pessoas precisam saber antes de ler Harry Potter and the Cursed Child e que, apesar de estar escrito na capa, muitos ignoram. Por ser um formato diferente dos demais livros da série, não temos um narrador contando a história em detalhes, com descrições dos personagens e seus sentimentos, dos ambientes ou dos acontecimentos. Tudo a que o leitor tem acesso são as falas dos personagens e as indicações de cena (instruções do momento em que alguém entra ou sai de cena e do posicionamento no palco).
 J. K. Rowling não planejava escrever um oitavo livro para a série, mas tinha ideias sobre o que aconteceu após o sétimo livro. Assim, ela aceitou escrever, juntamente com Jack Thorne e John Tiffany, a escrever o roteiro da peça Harry Potter and the Cursed Child (atualmente em cartaz em Londres). Posteriormente, decidiram publicar este roteiro para atender a demanda dos fãs que não terão acesso à peça.
           Então, quem for ler esperando ver um livro de Harry Potter como estamos acostumados, provavelmente irá se frustrar. Trata-se apenas do roteiro da peça e é preciso levar isso em consideração antes de ler e emitir qualquer opinião sobre ele.


2 – A história se passa 19 anos depois, então, muita coisa mudou.
           A história começa 19 anos depois, no momento do epílogo de Relíquias da Morte. Então, muitas coisas aconteceram com os personagens neste período, suas vidas mudaram, eles amadureceram e passaram a ter outras responsabilidades.
            Vi que muitas pessoas criticaram as mudanças, dizendo que os personagens não pareciam os mesmos dos outros livros. Confesso que, com exceção de Harry e outros dois personagens (que não vou contar agora), não senti muita diferença. Além disso, mesmo nesses três casos em que percebi mudanças nos personagens, achei algo natural. Muitos anos haviam se passado, eles já não eram os jovens adolescentes de antes. Qualquer pessoa muda ao longo dos anos, faz parte da vida. Assim, é normal que isso tenha acontecido com os personagens também.


           
3 – É uma história breve.
           Sei que muitas pessoas reclamaram que a história de Cursed Child se desenvolve muito rápido e partes importantes foram resolvidas com uma certa facilidade. Mais uma vez, isto é algo um tanto óbvio, considerando que se trata do roteiro de uma peça.
             Caso o livro fosse um romance, seria possível desenvolver a trama em um ritmo mais lento, dando mais detalhes e explicações. No entanto, por ser um roteiro, tudo precisa ser resolvido mais rapidamente, uma vez que a peça não pode ter muitas horas de duração.

Em resumo, destaquei esses três aspectos do livro, pois notei que muitas pessoas se frustraram por terem começado a ler Harry Potter and the Cursed Child com expectativas que o livro não poderia atender. Não estou dizendo que todos devem gostar ou que o livro não tenha problemas, mas é preciso levar todo o contexto em consideração antes de julgar. A história é contada em um formato muito diferente e em um novo contexto, então, é melhor evitar comparações.

Minha dica para quem for ler é ir sem preconceitos ou expectativas muito altas. Simplesmente aproveite esta nova história que está sendo contada e tire suas próprias conclusões a partir dela. E, para quem já leu, me conte aí nos comentários o que achou desta leitura. Só tomem cuidado com os spoilers, para não estragar a surpresa de quem ainda vai ler.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

[Divulgação] Box - Os Instrumentos Mortais


Se você é fã da série Os Instrumentos Mortais, da Cassandra Clare, se prepare, pois vai vai se apaixonar por esta novidade que a Galera Record anunciou. Um novo box comemorativo com os seis livros da série será lançado em outubro. Além de uma edição maravilhosa, com as capas de todos os livros metalizadas, a ainda serão incluídos materiais especiais como cenas extras, HQs e muito mais.
Confiram as fotos do box e de todos os livros abaixo, assim como a descrição feita pela editora.
“Neste box de luxo, a série completa de fantasia urbana Os Instrumentos Mortais ganha novas capas e novo conteúdo. Além do acabamento diferenciado com capas metalizadas, cada um dos títulos apresenta um conteúdo extra. São cenas deletadas, cenas estendidas, mapas, cartas e até um HQ, tudo para o universo dos Caçadores de Sombras ficar ainda mais interessante. Oportunidade perfeita para quem ainda não conhece os livros e para os que gostam de uma edição diferenciada. As lombadas dos livros formam, juntas, uma bela imagem com os personagens da trama.”





Então, o que acharam? Tenho certeza que essa edição vai deixar os fãs muito felizes. E, para os que não conhecem ainda o universo criado pela Cassandra Clare, esta é uma excelente oportunidade. O box já está em pré-venda e eu vou deixar o link para o site da Amazon no final. Lembrando que comprando pelo link disponibilizado, vocês ajudam o Dicas de Malu.

Informações:
Autora: Cassandra Clare
Páginas: 2660
Editora: Galera Record

sábado, 10 de setembro de 2016

Cinco filmes românticos que têm tudo a ver com literatura


Hoje a coluna Das páginas para as telas está de volta, mas em um formato um pouco diferente. Me pediram para indicar filmes românticos, então, ao invés de falar em detalhes sobre um único filme, fiz uma lista com cinco indicações. Escolhi para a lista alguns dos meus favoritos e que têm tudo a ver com literatura.
Vocês vão perceber ao longo da lista, que nem todos os filmes escolhidos são adaptações exatas dos livros. No entanto, em todos eles vocês vão encontrar algum vínculo com a literatura.

1 – 10 coisas que eu odeia em você
Elenco: Julia Stiles, Heath Ledger, Josph Gordon-Lewit
Direção: Gil Junger
Ano: 1999 / Nacionalidade: EUA

            Escolhi esse filme para começar a lista por ser uma das minhas comédias românticas favoritas (e de muita gente, né?). Além disso, algumas pessoas não sabem, mas trata-se de uma versão moderna do clássico de William Shakespeare, A megera domada.
            Na trama, duas irmãs com personalidades muito diferentes, Katy e Bianca, são criadas por um pai super-protetor. Enquanto, Katy, a mais velha, é desprezada pela maior parte das pessoas na escola por seu jeito mais “agressivo”, Bianca é uma das populares e logo chama a atenção de dois alunos. O problema é que o pai delas estabelece uma regra que Bianca só poderá namorar, quando Katy tivesse um namorado, algo que ela não pretende fazer tão cedo.
            Para resolver a questão, Cameron, um dos colegas interessados em Bianca, tem a ideia de pagar alguém para sair com Katy. O escolhido é Patrick Verona, um estudante misterioso que parece ser o único que não é intimidado pelo jeito de Katy.
         Esse filme foi responsável por lançar Heath Ledger para o estrelato e, só por isso, já vale a pena ser assistido. No entanto, a história é muito engraçada e apaixonante, daquelas que dá vontade de assistir de novo várias vezes. Além disso, 10 coisas que eu odeio em você tem algumas das cenas mais marcantes do cinema quando o assunto é comédia romântica. Então, se você ainda não viu, está perdendo tempo. E, se já viu, por que não ver de novo?


2 – Shakespeare apaixonado
Elenco: Joseph Fienes, Gwyneth Paltrow, Judi Dench, Colin Firth, Imelda Staunton
Direção: John Madden
Ano:1996 / Nacionalidade: EUA/ Reino Unido
         Já que o filme anterior era uma releitura de um livro do Shakespeare, por que não incluir um sobre o próprio autor?  Em Shakespeare Apaixonado é criada uma história em que o famoso escritor teve um período de bloqueio criativo no qual não conseguia escrever nenhuma peça. Tudo muda quando ele conhece a jovem Viola, que tinha grande admiração por ele e sonhava em atuar, algo proibido para as mulheres. Para burlar a lei, Viola se disfarça de homem para se aproximar de Shakespeare e ensaiar com ele. Assim, a inspiração ao autor retorna e ele volta a escrever. No entanto, a família dela decide casá-la com Lord Wessex, ameaçando a felicidade deles.
         Apesar de não ser inspirada em fatos reais, é um filme leve e romântico, repleto de referências à obra de Shakespeare. Com certeza, vai agradar aos fãs de filmes românticos e quem gosta da obra do autor.


3 – Muito bem acompanhada
Elenco: Debra Messing, Dermont Mulroney, Amy Adams, Jack Davenport, Jeremy Sheffield
Direção: Clare Kilner
Ano: / Nacionalidade: EUA

            Esse, confesso, foi surpresa até para mim. Quando assisti “Muito bem acompanhada”, amei a história e os personagens. É um filme leve, divertido e romântico. O que eu não sabia é que ele é inspirado em um livro. Trata-se da adaptação do livro Asking for trouble, de Elizabeth Young.
          O filme conta a história de Kat Ellis, uma mulher que havia sido abandonada pelo noivo dois anos antes e se mudado para os EUA. No entanto, sua irmã caçula agora irá se casar e ela precisa retornar e reencontrar seu passado, uma vez que seu ex-noivo será padrinho no casamento. Para mostrar que já superou a situação, Kati contrata Nick para se passar por seu namorado. O que ela não esperava era que uma relação que deveria ser profissional e de fachada iria confundir seus sentimentos.



4 – A casa do lago
Elenco: Sandra Bullock, Keanu Reeves, Christopher Plummer, Dylan Walsh
Direção: Alejandro Agresti
Ano: 2006 / Nacionalidade: EUA
           
        Este filme é um dos meus queridinhos quando se trata de romance e foi o responsável por me apresentar um livro se tornou um dos meus preferidos. Apesar de não se tratar exatamente de uma adaptação ou releitura, A casa do lago faz diversas referências à Persuasão, da Jane Austen.
          O filme traz a história de um amor que supera o tempo. Mas não é apenas no sentido de um casal que passa um longo período afastado até se reencontrar: os dois protagonistas estão em tempos diferentes; mais precisamente, dois anos de distância. Kate vive em 2006, Alex em 2004. Kate acabara se mudar da casa do lago em que vivia em Illinóis para um apartamento em Chicago e escreve pedindo ao novo inquilino da casa que encaminhe as suas correspondências para lá. No entanto, Alex responde afirmando que ninguém havia morado ali antes dele. Os dois começam a trocar cartas e descobrem que estão, de fato, vivendo em anos diferentes.


5 – Brooklyn
Elenco: Saoirse Ronan, Emory Cohen, Domhnall Gleeson, Jim Broadbent e Julie Walters.
Direção: John Crowley
Ano: 2015 / Nacionalidade: Irlanda, Reino Unido, Canadá
           
         Indicado ao Oscar de Melhor Filme deste ano, Brooklyn foi uma surpresa para mim.  Trata-se de uma história leve e encantadora, adaptada do livro homônimo de Colm Tóibín.
           O filme conta a história da jovem irlandesa Ellis, que consegue um emprego nos EUA, mas precisa deixar a família para traz. Em Nova York, Ellis vai morar no bairro Brooklyn, onde tentará começar uma nova vida. No entanto, a adaptação dela a um país diferente é difícil no começo e ela se sente muito sozinha. As coisas se tornam mais fáceis quando ela conhece e se apaixona por um jovem bombeiro italiano que a ajuda nesse processo de transição. No entanto, ela logo fica dividida entre dois países e entre o amor que sente por Tony e o dever que tem com sua família.



         Gostaram das indicações? Me contem aí nos comentários se já assistiram algum ou pretendem assistir. Além disso, quando quiserem sugerir algum tema, podem falar aí nos comentários ou pela página no Facebook. O quê? Ainda não segue a fanpage do blog? Então, aproveita o link na barra lateral e comece a seguir agora, para não perder nenhuma novidade. 

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

[Dica da Malu] Cartas de amor aos mortos

Autora: Ava Dellaira
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Comprar: Amazon

Hoje vim falar sobre Cartas de amor aos mortos, uma das leituras mais difíceis que tive esse ano. Trata-se de uma história linda, mas que aborda temas muito sérios e duros de serem encarados.
O livro acompanha a adolescente Laurel, cuja irmã mais velha, May, havia morrido em um acidente alguns meses antes. Ainda de luto pela perda de alguém que era seu porto-seguro, sua melhor amiga e a pessoa a quem mais admirava, a menina sente-se confusa e sem saber como lidar com as mudanças na sua vida. Os seus pais, que haviam se divorciado quando as duas eram mais novas, estão ainda mais distantes um do outro e da própria filha. A mão dela resolve se mudar para Califórnia e Laurel passa a viver revezando entre a casa de seu pai e de sua tia, Amy.
Prestes a começar o Ensino Médio, Laurel decide mudar para outra escola, onde ninguém a conhecia e ela não precisaria lidar com a ausência da irmã. No entanto, sua professora pede que os alunos escrevam uma carta para alguém que admiravam e que já tivesse morrido. Assim, Laurel começa a escrever diversas cartas para diferentes artistas e personalidade que ela admirava, onde “conversa” com eles sobre fatos da vida deles, o que vem acontecendo em sua vida desde a morte da sua irmã e como era tudo antes do acidente.
O primeiro ponto que destaco é a sensibilidade da autora na construção e condução da história. Tudo é narrado de uma maneira delicada, pela perspectiva da menina. Através das cartas, vamos conhecendo Laurel aos poucos, entendendo a profundidade da sua dor e os seus traumas.
“Havia uma barreira entre mim e o mundo. Parecia uma grande parede de vidro, espessa demais para ser atravessada. Eu poderia fazer novos amigos, mas eles nunca me conheceriam, não de verdade, porque nunca conheceriam minha irmã, a pessoa que eu mais amava no mundo. E nunca saberiam o que eu fiz. Eu precisava aceitar que estava do outro lado de uma parede intransponível. ”
Gostei muito dos personagens desta história. Além da protagonista, somos apresentados à sua família, seus novos amigos (Hanna, Natalie, Kristen e Tristan) e Sky, um menino misterioso por quem ela se apaixona. Apesar de tudo ser narrado pela visão de Laurel, conseguimos conhecer e entender os demais personagens e seus conflitos. Além disso, todos eles apresentam traumas e inseguranças muito fortes e nos sensibilizamos com eles tanto quanto com a protagonista.
O livro também nos oferece a oportunidade de saber mais sobre artistas e personalidades que talvez não conhecêssemos ou que não soubéssemos tanto sobre eles. Entre as pessoas para quem Laurel escreve, encontramos Kurt Cobain, River Phoenix, Heath Ledger, Amy Whinehouse, Judy Garland e América Earhart. Em comum, o fato de que todos foram excepcionais em suas profissões, conquistando a admiração e inspirando pessoas no mundo todo, mas enfrentaram traumas e sofrimentos que marcaram suas vidas.
“O homem na música tenta amar a garota, mas ela não está ali, não completamente. Ela está fugindo de algo dentro de si, algo que ele não consegue ver. Acho que existe algo assim dentro de mim.”
Me encantei com cada uma das cartas de Laurel. O modo como ela conta a sua vida e a destas pessoas que tanto admira aproxima o leitor e aumenta o envolvimento com a história. Além disso, em alguns momentos percebíamos com tanta clareza os sentimentos de Laurel que era como se estivéssemos sentindo junto com ela.
A escrita de Ava Dellaira é bastante fluida e completamente envolvente. Apesar de não ser uma história leve, a leitura não é cansativa, pois os sentimentos dos personagens são apresentados de uma maneira tão sensível que rapidamente nos apegamos a eles. A única dificuldade que senti em alguns momentos da leitura é que não conseguia compreender algumas ações da protagonista, por não conhecer sua história toda, então, acabava me irritando um pouco com ela. No entanto, à medida que entendemos melhor alguns acontecimentos da vida de Laurel, é impossível não compreender seu comportamento e se sensibilizar ainda mais com ela.

Confesso que esperava encontrar em Cartas de amor aos mortos uma abordagem um pouco mais superficial sobre o luto e a necessidade de seguir em frente. Fiquei surpresa ao me deparar com uma história que vai muito além disso, abordando temas profundos e dolorosos. Além disso, amei conhecer mais sobre essas personalidades e descobrir um lado mais humano deles. Recomento muito este livro para todos que desejam uma história tocante, com uma bela mensagem. Sem dúvida, um dos livros mais lindos daqueles voltados para o público Jovem Adulto que eu já li.